Uma jovem viúva. Um guerreiro escocês fascinante.

Duas vidas transformadas pelo amor e por uma paixão avassaladora.
Quando Lady Johanna soube que estava viúva, ela prometeu que jamais se casaria novamente. 


Com apenas dezesseis anos, ela já possuía uma força de vontade que impressionava a todos que enxergavam além de sua beleza avassaladora. 

Contudo, quando o Rei John ordenou que ela se casasse outra vez – e selecionou um noivo para ela – pareceu que a moça deveria se conformar com esse destino. Seu irmão, no entanto, sugere ao Rei um novo pretendente: o belo guerreiro escocês Gabriel MacBain. 

No início, Johanna estava tímida, mas, conforme Gabriel revelou com ternura os prazeres magníficos a serem compartilhados, ela começou a suspeitar que estava se apaixonando por seu novo e rude marido.


Logo ficou claro para todo o clã das Terras Altas, portanto, que o ríspido e galante lorde rendera completamente seu coração. 

Porém, a iminência de uma intriga da realeza ameaça separar o casal e destruir o homem que ensinou a Johanna o significado do verdadeiro amor, que a transportou além de seus sonhos mais selvagens. 


Meus Comentários:

Sou completamente apaixonada pela maneira eficaz e cativante com que Julie cria seus personagens, trama suas histórias e finaliza magistralmente seus livros.

Admito que fui hipnotizada desde a primeira linha e a leitura fluiu de maneira espantosa.

Logo nas primeiras linhas percebemos que Johanna é uma sobrevivente silenciosa de um casamento abusivo. Quando finalmente recebe a notícia da morte do malévolo marido, seu alívio a envergonha e ao mesmo tempo a liberta.

Quando o Rei com medo de que Johanna revele seu pior segredo lhe imputa um novo casamento, Johanna vê o pavor querer lhe tomar a alma, no entanto, é lutadora e consegue esconder o próprio medo.

Ela confia sua vida ao irmão, este intervém e escolhe seu marido junto ao Rei, mas ela  só vai conhece-lo no dia do casamento. 

A cena do casamento é tensa, e ao mesmo tempo tão hilária que é impossível não amar e torcer por uma mocinha tão corajosa, apesar do que ela possa pensar de si mesma.

MacBain é tão único, que ao longo do livro somos levadas por uma paixão avassaladora por esse homem protetor e decidido.

Johanna tem um coração enorme, e ao longo do livro recolhe sob suas asas o filho de Gabriel com outra mulher e também uma moça espancada por um clã vizinho.

A cada cena e cada desenrolar da trama, com muitos sustos e muitas brigas, MacBain descobre que sua mulher é "Corajosa", "Destemida" e muiiiiiiiiiiiiiiiiiito "Teimosa"...rs.

O medo que ele tem de perder Johanna é tão fofo, que ficamos torcendo para mais e mais cenas assim.


Tem um casal em segundo plano, que eu admito queria muuuuuuuuiito um livro dos dois...rs.

Tem uma cena com lobos que é tensa e seria muito cômica se não fosse o fato de quase se tornar trágica.

O fato dela interferir nos negócios do marido, também gera várias cenas engraçadas.

E o final me ganhou 100%.

A confiança de Johanna em Gabriel, faz o livro ser uma leitura inesquecível. Gabriel lutar com todas as forças para recuperar Johanna é esperado, e ainda assim um sonho bom.

Nota 10

E a trilha sonora foi: 

Save me - The Shires  "A letra é uma declaração do que Gabriel fez na vida de Johanna"






Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...

Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.

Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.

Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.


Meu Comentário:

Um dos meus anti-heróis favorito, ter Dain nas mãos foi um sonho realizado pela sempre amiga-irmã Rogi Paschoaleto. (Obrigado pelo presentão amiga)

Admito que já o conhecia à alguns anos de uma tradução de fãs, mas desde que ele foi lançado no Brasil na forma "pegável", eu realmente ansiava reler esse lorde tão malvado, narigudo e conhecido vulgarmente por lorde Belzebu.

Logo nas primeiras páginas eu me lembrei de como havia sido fácil me apaixonar pelo garotinho desprezado e sofrido. E foi uma sensação formidável, me encontrar novamente com esse menino, vê-lo ir se moldando em um homem duro e inquebrável.(ao menos é o que ele acredita ser, até que se encontra com Jessica Trent).

Quando Jessica chega, as cenas são perfeitas, e eu me identifico com ela, porque amo mocinhas inteligentes, corajosas e destemidas.

Ver Dain confuso e sem acreditar que aquela linda mulher realmente o deseja e não o acha repulsivo é de uma beleza épica e até quase poética.

Admito que algumas partes eu tinha esquecido, e foram uma grata surpresa, principalmente à reação de Jessica à humilhação sofrida. Qualquer outra mulher teria se debulhado em lágrimas, já Jessica ergue a cabeça e busca vingança.

Não tem como eu expressar minha alegria e meu contentamento sem cometer o pecado do Spoiller. Então tudo o que posso dizer é leiam e não se arrependam.

Enfim, Loretta Chase é uma de minhas autoras favoritas. E afirmo sem sombra de dúvida que esse é um dos melhores livros que já li. E com absoluta certeza ele faz parte da minha coleção de intocáveis.

Nota 10.

Não tão temporariamente casado

Zoe Elliot resistiu aos avanços de Landon Heath, só porque ele é seu chefe e ela precisa de seu emprego para manter seu visto de trabalho. Mas quando ela está em perigo de ser deportada, ela concorda com sua louca sugestão de casar ... temporariamente, é claro.

Landon quer a bela canadense para si mesmo, e ele não está acima de usar sua situação para amarrá-la a ele permanentemente. Ele sabe que tem que se mover rapidamente, antes que ela perceba que eles não estão tão temporariamente casados.


Meu Comentário: 

Primeira leitura do ano, começou muito bem. Livro curtinho.. bem clichê e surpreendentemente fofo.

Landon é um homem que sabe o que quer, e simplesmente se casa sem pestanejar com a mulher que ele soube no momento em que pousou os olhos que ela seria dele.

Zoe lutou bravamente, mas contra a possessividade e persistência de Landon não teve como resistir. Felizmente, o livro não tem aqueles desencontros, e quebras de confiança. 

Na verdade o Landon propõe casamento e ponto. E só depois é que a Zoe percebe que ele nunca disse que seria temporário.

Dito isto, ele não pode ser acusado de mentir, ou trapacear. E, isso é bem mais do que eu esperava do livro. Admito que estou acostumada com manipuladores descarados, e mentirosos contumaz.

O livro é bem fofo uma pena ser tão curtinho. :(


As famílias, tanto de Landon quanto de Zoe são fofas e xeretas. E gostaria de conhecer mais desse pequeno mundo.

O fato de ser contato em primeira pessoa não me incomodou e o fato de cada capitulo ser contato alternadamente é um alívio.

O desespero por um bebê produz cenas ótimas, só achei estranho o sr. Spencer (agente da imigração) não aparecer para dar a cidadania para Zoe. Não achei esse fechamento, acredito apenas que tenha ficado subentendido.

Ponto mega positivo porque tem Epílogo que eu amo. ♥♥♥

Enfim, nota 8. (Bem estilo comédia romântica) 

Trilha Sonora: I Believe - Andru Donalds



25.12.16

Farewell - Despedida

Postado por Mara |


Em algum momento eu soube que havia terminado.

No entanto, não tive forças de partir, deixar o caminho livre.

E nessa minha covardia, nos fiz refém do "desamor".

Meu arrependimento, não vai curar a nossa dor.

Podíamos ter nos tornado amigos... 


Talvez... no futuro, o amor nos fisgasse de novo.

Fugir não era solução, ficar não era suportável.

E hoje, quando olho para trás, sei que poderíamos ter sido felizes... seguindo rumos diferentes.

Mas, não há nenhuma máquina do tempo... Não posso corrigir meus erros.

O som, nessa triste melodia do piano, me revela que os erros cometidos, serviram de inspiração para algum talentoso compositor.

Farewell... é apenas a nota final de um amor que não sobreviveu. 

From by: Lady d'Arques
 

Inteligente e maravilhosamente romântico, “Namorado de Aluguel” retrata a jornada inesperada de uma garota para encontrar o amor — e possivelmente até a si mesma. 

Quando Bradley, o namorado de Gia Montgomery, termina com ela no estacionamento do baile de formatura, ela precisa pensar rápido. 

Afinal, ela vem falando dele para suas amigas há meses. Esta era para ser a noite em que ela provaria que ele não é uma invenção de sua cabeça. 

Então, quando vê um garoto esperando pela irmã no estacionamento do baile, Gia o recruta para ajudá-la. A tarefa é simples: passar por namorado dela — apenas duas horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas. Depois disso, ela pode tentar reconquistar o verdadeiro Bradley.

O problema é que, alguns dias depois do baile, não é em Bradley que Gia está pensando, mas no substituto. Aquele cujo nome ela nem sabe. Mas localizá-lo não significa que o relacionamento de mentira deles acabou. 

Gia deve um favor a esse cara, e a irmã dele tem a solução perfeita: a festa de formatura da ex-namorada dele — apenas três horas, nenhum compromisso, algumas mentirinhas.

E, justamente quando Gia começa a se perguntar se pode transformar seu namorado falso em real, Bradley reaparece, expondo sua farsa e ameaçando destruir suas amizades e seu novo relacionamento. 

Meu Comentário:

Apesar da sinopse, o livro me surpreendeu com alguns questionamentos acerca de nossa sociedade e seu comportamento nos dias de hoje:

  • Como as redes sociais nos fazem vítima e vilão, num mesmo segundo?

  • Qual a importância da opinião dos outros, sua relevância na verdade, em nossa realidade, mas principalmente qual o nosso papel junto aos que confiam em nós e em nossas opiniões?

Com uma relação complicada entre os "namorados de aluguéis", vemos as famílias e suas interações.

A história encaminha-se como esperado, e claro, que o momento dramático é quando finalmente as amigas descobrem a verdade.

Nesse momento, a autora deixa claro, que não há como viver uma mentira para sempre. E a verdade traz consequências, muitas vezes irreversíveis.

Boa leitura, uma quase "Sessão da Tarde".

Nota 7.

PS. Trilha sonora com: Maroon 5 - Don't Wanna Know (Audio) ft. Kendrick 
Prestem atenção na letra, quando aparece o ft do Kendrick Lamar... 



Um bebê a caminho...

Alissa Kirkpatrick estava tão apaixonada por Dirk Matheson que concordou com a estranha exigência dele: casamento sem filhos.


Por amor, ela pôs de lado seu sonho de ser mãe, dedicando se
exclusivamente ao papel de esposa. 


Até que o teste de gravidez deu positivo!

A última notícia que Dirk, esperava receber era de que seria pai. Isto era algo que, definitivamente, não estava em seus planos... 


Deixara muito claro a Alissa que o casamento deles não envolvia bebês... 

E só Dirk sabia os motivos para não querer ter filhos!

Meu Comentário:

Tarde de domingo e eu procurando algo para me distrair, vi essa capa e sinopse, me lembrei dos primeiros livros de romance que li. E bateu saudades dessas leituras "simples"...

#SQN

Pois é amigas... o livro me fez estremecer de raiva e revolta em vários momentos e admito que apesar de amar os maucinhos, o Dirk ultrapassou todos os limites.

11.9.16

Good luck!

Postado por Mara |


Chutando folhas e olhando a paisagem...
Eu sei... que essa volta, não trará nada de novo.

Eu sei... meu coração ficou partido ao ver suas lágrimas,
No entanto, não sou capaz de enxuga-las.

Oh, por favor... não me faça responsável por seus erros,
Foram suas escolhas e você deve assumir a sua culpa.

Algum tempo atrás eu resolvi assumir meus erros, e
foi minha melhor decisão...

Perdoar a si mesmo é o inicio de algo grandioso e libertador.
Você deveria experimentar...

Desculpe, dessa vez não poderei te salvar...
Eu já expiei os meus pecados, agora é sua vez...

Good luck!

From by: Lady d'Arques



8.8.16

Good bye!

Postado por Mara |




Os acordes finais de uma linda canção anunciam o inevitável.

A dor é dilacerante e não há alívio nas lágrimas e nem consolo nesse último abraço.

Essa dança é apenas uma maneira de eternizar a lembrança de um amor que acabou.

Quando essa música chegar ao fim, não haverá para onde correr, nem como fingir.

A realidade nos abraça e é um abraço frio...

Prolongue mais alguns passos de dança, meu coração ainda acredita em milagres.

Oh... música please... não termine ainda... só mais alguns acordes...

Um instante a mais, envolvida nos braços da razão do meu viver...

Sinto meu coração em pedaços...

Se houvesse uma maneira de te tornar eterna... óhh canção... eu o faria!!!

From by: Lady d'Arques


Se percebesse alguém à espreita ou se notasse atrás de mim uma sombra que não fosse a minha, eu certamente agiria rápido e daria o dia por encerrado.

Era um emprego para matar.
Eficiente, profissional e sem o mínimo arrependimento, Lily Mansfield é uma assassina de aluguel contratada pela CIA. Seus alvos eram sempre os poderosos e corruptos, aqueles que nunca são atingidos pela lei.

Agora, depois de dezenove anos de serviço, Lily se envolveu por razões pessoais num jogo perigoso, para o qual não recebeu permissão. Com atitudes cada vez mais ousadas, ela acabou comprometendo seus superiores, atraiu atenção indesejada e arriscou a própria vida. Apesar de o estresse e a tensão fazerem com que ela se sinta invencível e até mesmo um pouco convencida, Lily também sabe que pode ser eliminada num piscar de olhos. E, se for sua hora, tudo bem. Ela pretende morrer lutando.

Lucas Swain, um agente da CIA, também reconhece os sinais perturbadores da linha de fogo. A ordem que recebe é para matá-la ou prendê-la. Mas ele também é atraído para o jogo com Lily Mansfield, equilibra-se na corda bamba ao tentar evitar uma catástrofe mundial e, ao mesmo tempo, luta contra um inimigo obstinado que vigia todos os passos deles dois. Mantendo o foco no seu objetivo e, ao mesmo tempo, atenta para não ser pega, Mansfield não vê o perigo mortal que está indo em sua direção. E terá que descobrir que a lealdade tem o seu preço.


Meu Comentário:

Se você estiver procurando um romance, esse livro não é uma boa pedida...

No entanto, se estiver buscando uma boa leitura, esse "é" o livro.

Linda é mestra em livro de espionagem e Lucas Swan é uma delícia de ler, bem humorado, provocante e sensual, é impossível não se apaixonar por ele.

Lily é forte, decidida e bem versátil, não é nenhuma mocinha tola. Gosto de mocinhas que não se abatem, nem confiam cegamente.

No entanto, admito que em alguns momentos eu me senti dividida entre o medo e a vontade de que Lily se entregasse logo à essa paixão.

A trama é bem articulada e o final é capaz de fazer doer o coração.

Confesso, que o final do livro me deixou em choque e a explicação do título me fez acreditar que tinha errado ao confiar tão cegamente em Swain.

Abaixo contém um trecho S P O I L L ER

Nada de dor, então. Que bom. Não iria morrer agonizando.
- Foi verdade? Alguma coisa foi verdadeira? - Ou todos os toques e todos os beijos tinham sido uma mentira?
Os olhos dele ficaram marejados, ou pelo menos ela pensou que estivessem. Poderia ser sua visão que estava ficando embaçada.
- Foi verdade.
- Então... - ela perdeu a linha de raciocínio e lutou para retorná-la. O que ela estava...? Sim, conseguia se lembrar agora. - Você... - Ela mal conseguia falar, e não conseguia vê-lo. Ela engoliu, fez um esforço - ... pode me dar um beijo de boa noite?
Ela não tinha certeza, mas achou que o tinha ouvido dizer:
- Sempre. Tentou tocá-lo, e em sua mente conseguiu. Seu último pensamento foi que gostaria de tocá-lo.

O epílogo é um consolo paliativo, no entanto, fica muito aquém de satisfazer nosso desejo de quero mais.

Enfim, Linda Howard é sempre garantia de boa leitura.

Nota 8.

23.4.16

Valente!

Postado por Mara |



Eu tenho sido valente por um bom par de dias...

E às vezes na calada da noite, as lembranças voltam de forma avassaladora e nem mesmo meu escudo tão bem praticado, impede velhos arrependimentos de se manifestarem.

Sim, eu sei que mais de uma vez eu segui em frente, sem olhar para trás e não importam quantas lágrimas eu tenha derramado, ainda assim a dor tem sustentado sentimentos que eu preferia esquecer.

Oh! Por favor! Não tenha piedade, não demonstre compaixão, eu estou apenas tomando um fôlego e em breve darei alguns passos, seguindo em frente como é de praxe.

Seus olhos neste momento apenas refletem dor e confusão, e neste momento eu tenho certeza de que o que eu fiz, foi o melhor, você não saberia lidar comigo e todos os meus “acontecimentos”.

As palavras fluem, e é interessante  vê-las voltando à ativa, pois por algum tempo eu achei que tinha perdido o dom de me expressar por completo.

Sim, eu lamento.

Mas, não o que você imagina... lamento ter esperado, mais do que você seria capaz de compartilhar...

Lamento, todas as vezes em que renovei as esperanças, para logo em seguida, perceber que você não tinha evoluído.

Por isso, serei sempre “Valente”, não importa quantas vezes a decepção ainda me visitará.

Se eu choro é porque continuo sentindo, mudando e me adaptando.

Subscribe